Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

A Ortorexia é uma perturbação do comportamento alimentar que leva as pessoas a desenvolver uma constante preocupação relativamente à pureza dos alimentos que ingere. Assim sendo, se inicialmente as pessoas apresentam apenas alguma restrição alimentar, com o passar do tempo essa restrição começa a ser elevada contribuindo para grandes carências nutricionais.

Geralmente, as pessoas que sofrem de ortorexia apresentam sinais como o facto de se preocuparem em comer apenas alimentos saudáveis, culpabilizando-se cada vez que "fogem" desse regime, lêem com máxima atenção os ingredientes de todos os alimentos e querem constantemente perder peso.

Apesar de ser uma perturbação do comportamento alimentar conhecida recentemente, sabe-se que a ortorexia provoca graves estados de euforia e ansiedade, tal como outros problemas de saúde mais graves relacionados com a grande restrição nutricional.

 

Relembro que perder peso é possível de forma equilibrada e comendo de tudo um pouco nas quantidades adequadas, basta ReEducar os seus hábitos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Já falámos da intolerância à lactose, por isso hoje vamos falar da alergia ao leite!
Sabe a diferença entre intolerância à lactose e alergia ao leite?
Na verdade, estes dois conceitos são muitas vezes confundidos e utilizados de forma errada. Assim sendo, ao contrário da intolerância à lactose, a alergia ao leite (mais conhecida como alergia às proteínas do leite de vaca) consiste numa rejeição do organismo às proteínas existentes no leite.
Geralmente, a alergia às proteínas do leite de vaca é mais comum na infância pois é a altura em que o organismo está mais imaturo e, consequentemente, é mais sensível aos antigénios alimentares. 

Assim sendo, os principais sintomas da alergia ao aleite são:
- Diarreia;
- Prisão de Ventre;
- Cólicas;
- Refluxo;
- Vómito;
- Urticária e Vermelhidão na Pele.

Aquando de uma alergia ao leite, é importante ter em atenção tudo aquilo que se come e não apenas os produtos lácteos, sendo necessário a restrição de quaisquer produtos que sejam confeccionados com leite. Desta forma, não se pode ingerir leite de vaca e derivados, bolachas, biscoitos, sobremesas, gelados, molhos, chocolates, manteigas e natas que sejam feitas com leite.
ATENÇÃO! Os leites e derivados sem lactose também não podem ser ingeridos por pessoas alérgicas à proteína do leite! Deve-se optar por produtos à base de soja. 
Com o crescimento, geralmente, esta alergia passa, não sendo necessariamente obrigatório que uma criança que tenha sido alérgica ao leite nos primeiros anos de vida venha mais tarde a ser intolerante à lactose!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

A intolerância à lactose é um distúrbio alimentar que se caracteriza essencialmente pela dificuldade total ou parcial da digestão da lactose (um açúcar existente no leite). Esta intolerância pode surgir em qualquer idade e tem como principais sintomas:
- Diarreia;
- Gases;
- Cólicas;
- Náuseas.

 

Mas, atenção, intolerância à lactose não é o mesmo que alergia à lactose!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Sabia que nem sempre quando sente fome, o seu organismo tem de facto fome? Pois é, esta realidade pode parecer um pouco controversa mas a verdade é que existem dois tipos de fome: a fome fisiológica (fome real) e a fome psicológica (fome influenciada por emoções). Mas, pergunta você, como é que nós conseguimos perceber de que fome se trata?

De facto, estes dois tipos de fome são muito antagónicos. Geralmente quando estamos realmente com fome, ou seja, quando a nossa fome fisiológica dá "o ar da sua graça" sentimos o estômago a roncar, sendo que é uma fome que surge gradualmente (geralmente passadas 3 horas desde a última refeição), pode ser silenciada com a ingestão de água ou depois de fazer uma refeição. Por outro lado, a fome psicológica é uma fome que surge de forma repentina, sendo caracterizada pelo desejo incassável por determinada comida (ex.: chocolate). A fome psicológica mantém-se mesmo aquando da ingestão de água ou de uma refeição normal, podendo aumentar com o stress (ao contrário da fome real). A fome psicológica está, muitas vezes, associada a transtornos alimentares como a obesidade ou a bulimia, situações nas quais as pessoas se culpabilizam imediatamente após a ingestão desse alimento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Alguma vez ouviu falar do termo Vigorexia?

 

Na verdade, a maior parte das pessoas desconhece o significado deste termo e, sempre que questionamos alguém sobre transtornos alimentares, a grande maioria só considera transtorno alimentar a anorexia e a bulimia nervosas. NADA MAIS ERRADO. A vigorexia é um transtorno obsessivo compulsivo resultado da procura pelo corpo perfeito, que afecta na sua maioria pessoas do sexo masculino. Desta forma, quem sofre de vigorexia descreve-se como alguém "pequeno e fraco" quando na realidade apresentam uma musculatura desenvolvida muito a cima da média, resultado das horas excessivas de "malhação", em conjunto com o elevado consumo de anabolizantes e suplementos proteicos. 

É comum pessoas com este transtorno adoptarem uma alimentação bastante restrita e desiquilibrada, pois abusam das proteínas, dos glúcidos e das gorduras, esquecendo-se das vitaminas e minerais importantes para o bom funcionamento do nosso organismo. Este "estilo de vida" leva ao aparecimento de vários problemas de saúde, nomeadamente:

  • Desenvolvimento de doenças coronárias;
  • Hipertensão arterial;
  • Hipertrofia prostática;
  • Problemas de erecção e atrofia testicular em homens;
  • Atrofia mamária e desmenorreia em mulheres;
  • Insuficiência renal e/ou hepática;
  • Depressão;
  • Problemas de circulação do sangue;
  • Irritabilidade;
  • Isolamento social.

Assim sendo, é importante que quem sofre de vegorexia seja devidamente acompanhado pela família e por profissionais especializados, sendo muito importante o apoio de um técnico de alimentação, de um técnico de desporto e de um psicólogo. 

 

Nunca se esqueça que tudo na nossa vida faz bem, desde que seja com conta, peso e medida! Pratique exercício fisíco sim, mas sem exagero; Tenha em atenção a sua alimentação sim, mas não faça dietas muito restritas!

 

Seja saudável!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Marcação de Consultas e/ou Esclarecimento de Dúvidas

diana.educacaoalimentar@gmail.com