Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Maçã Seca

30.11.13

 

Ingredientes:

  • Maçã (pode fazer com diferentes variedades de maçã)
  • Canela (optativo)

 

Modo de Preparação:

  1. Corte rodelas finissimas de maçã e deixe-as secar um pouco sobre um pano.
  2. Forre um tabuleiro com papel de alúminio ou papel vegetal e coloque as rodelas de maçã no tabuleiro. 
  3. Leve-as ao forno a 200oC por 15-20 minutos.
  4. Desligue o forno e não abra. Deixe as rodelas de maçã secarem lá dentro durante algumas horas.
  5. Quando estas já estiverem secas e crocantes guarde-as no recipiente hermeticamente fechado para não amolecerem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

A doença celíaca é uma doença que danifica o sistema digestivo e o intestino delgado. Esta doença crónica caracteriza-se pela intolerância do organismo a uma proteína denominada por glúten, o que faz com que os doentes celíacos não podem comer produtos com glutén. Esta doença é genética e os seus principais sintomas são: distenção e dor abdominal, diarreia crónica ou prisão de ventre, vómitos, perda de peso, anemia, depressão ou ansiedade, alteração do ciclo menstrual, aftas recorrente e dores ósseas ou articulares. Quando uma pessoa não sabe se é intolerante ao glutén deverá pedir ao médico para fazer análises ao sangue e às fezes, de forma a que se confirme a má absorção de alimentos. 

Um doente celíaco está extritamente proibido de consumir produtos como: farinha de trigo, de aveia e de centeio, pão, bolos e bolachas, massas, iogurtes com cereais, farinheira e alheira, delicias do mar, pizzas, lasanhas e canelones. Contudo, existem ainda outros alimentos que podem conter na sua composição glutém e com os quais os doentes celíacos devem ter algum cuidado antes de os consumir. Actualmente, são mais que muitas as ofertas que existem nas superficies comerciais para doentes celíacos, sendo que já existe no mercado lojas que vendem os produtos tradicionais como o pão ou as massas sem glutén. 

Por fim, existem alimentos que estão isentos de glutén e que podem ser consumidos "à vontade" pelos doentes celíacos, como é o caso da batata, arroz, milho, carne, peixe, ovos, fruta, vegetais, leguminosas, queijo fresco, iogurte natural, requeijão, azeite e óleo vegetais, água, vinho, chá, especiarias e ervas aromáticas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Esta é a grande questão de muitas pessoas "Qual a diferença entre cereais integrais e os ditos cereais normais? Será que é benéfico para a minha saúde comer cereais integrais?"

 

Sem dúvida que existem diferenças entre os cereais integrais e os cereais ditos normais e que o consumo dos cereais integrais trás benefícios à nossa saúde. Para começar, os cereais integrais são uma óptima opção para quem quer perder ou controlar o seu peso pois têm uma elevada capacidade saciante. Por outro lado, os cereais integrais contribuem para uma diminuiição dos níveis de colesterol no sangue e, consequentemente, contribuem para a diminuição de doenças cardiovasculares. Por serem ricos em fibra, os cereais integrais ajudam no controlo da diabetes pois ajudam a diminuir os níveis de glicémia no sangue, assim como promovem um bom funcionamento intestinal uma vez que aumentam o bolo fecal e facilitam o trânsito intestinal. Mas atenção! Para que os benefícios da fibra que constitui os cereais integrais possam ser aproveitados é necessário que se ingira diariamente cerca de 2L de água.

 

Por isso, se estiver indeciso entre os cereais tradicionais e os cereais integrais tenha em conta quais são as suas características. Tem diabetes? Sofre de prisão de ventre? Quer manter ou diminuir o seu peso? Tem colesterol elevado? Nesses casos, será benéfico o uso de cereais integrais em vez dos cereais ditos normais. Contudo, se não se encontra em nenhum desses parâmetros pode optar naturalmente pelos cereais normais, mas atenção tente escolher os não açúcarados!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

"Mas o açúcar presente nas frutas é igual ao açúcar que adiccionamos ao nosso café?"

 

A resposta a esta questão é NÃO! Existem vários tipos de açúcares, sendo que o açúcar existentes nas frutas denomina-se de Frutose e o açúcar que habitualmente utilizamos em casa para adoçar a nossa comida é chamada por sacarose. E agora surge outra pergunta: "Qual é a diferença entre a Frutose e a Sacarose?".

Ambos têm o poder de adoçar os alimentos, mas as suas diferenças são inúmeras. A frutose existe naturalmente nas frutas e legumes, sendo por isso considerada como "açúcar natural". Este açúcar que já se encontra à venda em muitos supermercados caracteriza-se essencialmente por ser muito mais doce do que a sacarose, o que faz com que as pessoas adicionem menos quantidades de frutose nos alimentos do que adicionariam de sacarose. Para além disso, a frutose tem um baixo índice glicémico, ou seja, não provoca subidas acentuadas de açúcar no sangue uma vez que a sua velocidade de absorção é lenta. A sacarose, obtida através da cana-de-açúcar, caracteriza-se por ser absorvida rapidamente pelo nosso organismo, estando muitas vezes na origem de picos de açúcar no sangue. 

 

"Sendo assim devo optar por adoçar a minha comida com Frutose ou com o 'Açúcar do costume'?"

 

Na verdade, desde que o consumo não seja exagerado pode optar-se por qualquer uma das duas opções. Contudo, alguns estudos têm demonstrado que o consumo de frutose aumenta a produção de gordura no fígado e consequentemente está na origem de muitos casos de obesidade. Por isso, se quiser continuar a consumir o seu habitual açúcar de cana não tem problema nenhum, desde que não exagere na dose diária!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Batata Doce

19.11.13

 

 

A batata doce, muitas vezes esquecida em Portugal para a confecção de pratos mais saudáveis, é uma espécie de tubérculo com um sabor adocicado que se pode encontrar em muitos supermercados. Sendo nutricionalmente idêntica à batata, a batata doce apresenta indices superiores de vitamina A, C e E, ácido fólico e sódio. Para além disso, a batata doce também apresenta elevado teor em potássio, manganês, cobre, fibra, vitamina B6 e ferro. A grande diferença entre ambas deve-se ao facto da batata doce ser mais calórica mas apresentar menor quantidade de glúcidos com elevado índice glicémico. 

Desta forma, a batata doce tem funções antioxidantes, promove uma acção anti-alérgica e fortalece o sistema imunitário, aumenta o bom humor e tem funções hipotensoras. Por outro lado, promove a redução da glicémia em diabéticos tipo 2, ajuda no tratamento de doenças gastrointestinais e tem uma acção quimiopreventiva. Estudos comprovam que a batata doce é um óptimo aliado em casos de obesidade uma vez que por ter um elevado teor em glúcidos complexos, proporciona um maior grau de saciedade. 

Este tubérculo é muito aconselhado para desportistas, especialmente para ser consumida antes do treino, uma vez que é absorvida lentamente pelo organismo proporcionando energia estável durante toda a actividade física. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Quando os dias se tornam mais frios, muitas são as formas que as pessoas adoptam para se aquecer. O Chocolate Quente é uma das bebidas mais famosas nos dias frios, principalmente pelos mais novos. Mas será o chocolate quente uma escolha saudável?

Na verdade, estudos recentes comprovam que duas chávenas de chocolate quente por dia ajudam a manter o cérebro activo e saudável. Nas pessoas idosas, o chocolate quente contribui para diminuir o declínio da memória e promover o fluxo do sangue nas áreas funcionais do cérebro. Contudo, é preciso ter em consideração as  escolhas que toma aquando do momento de escolher o chocolate quente que vai tomar; o mais saudável e que mais benefícios trás para o cérebro humana é o cacau. Por isso, se estiver com frio e lhe apetecer tomar um chocolate quente siga a receita a baixo e delicie-se! Mas já sabe, não exagere!

 

Chocolate Quente Saudável:

(2 Pessoas)

(Valor Energético: 87 Kcal/pessoa)

  • 2 chávenas de leite magro
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó
  • 1 colher de sopa de açúcar
  1. Aqueça o leite em lume brando sem deixar ferver.
  2. Junte o açúcar e o cacau em pó.
  3. Misture bem e beba.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

 

 

Nesta altura do ano, muitas são as pessoas que julgam que a variedade de frutas disponíveis é menor do que nas épocas mais quentes. NADA MAIS ERRADO! A variedade de frutos disponíveis é muito vasta! A tangerina é um dos frutos mais importantes do Outono. Sendo um fruto extremamente rico em vitamina C, a tangerina tem propriedades antioxidantes que protegem o organismo de possíveis infecções. Para além disso, a tangerina é rica em água e apresenta elevados níveis de potássico, tendo um elevado poder diurético e sendo benéfico para problemas como a gota e a hipertensão arterial. 

 

Informação Nutricional (por 100g):

  • Valor Energático: 40 Kcal
  • Gorduras: 0,1 g
  • Glúcidos: 8,7 g
  • Proteínas: 0,7 g

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Actualmente, muitas são as pessoas que sabem que o consumo moderado de vinho diariamente (nomeadamente vinho tinto) trás vários benefícios para a saúde humana. Mas a questão que muitas pessoas colocam é: Porquê o vinho tinto e não o vinho branco? Na verdade, apenas estão comprovados cientificamente os benefícios do vinho tinto para a saúde humana e não do vinho branco. 

A principal diferença entre o vinho tinto e o vinho branco é o facto de o vinho tinto ter maior percentagem de compostos fenólicos do que o vinho branco, o que contribui positivamente para o adequado funcionamento do coração. Estes compostos fenólicos têm um forte poder antioxidante que diminui a oxidação de colesterol LDL (o chamado "Colesterol Mau"). 

Contudo, apesar do vinho tinto trazer benefícios para a saúde cardiovascular, é importante não esquecer que o seu consumo deve ser moderado (aproximadamente um copo médio por dia).

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

A Diabetes é uma doença que se caracteriza pelos elevados níveis de glucose no sangue. Sempre que uma pessoa come, os níveis de glucose do sangue aumentam e, numa pessoa que não tenha diabetes, essa glucose é armazenada no fígado ou nos músculos. Contudo, quando uma pessoa é diabética, a glucose não é armazenada e continua a circular no sangue até ser finalmente excretada pela urina. A Diabetes Mellitus é uma doença hereditária mas também pode ser causada por factores modificáveis como a obesidade, sedentarismo e maus hábitos de alimentação. 

A diabetes é uma doença que pode ser controlada com pequenas mudanças de hábitos de vida, nomeadamente coma adopção de estilos de vida mais activos (caminhe pelo menos 30 minutos por dia), com uma alimentação mais equilibrada e com o controlo adequado de peso.

Assim sendo, um diabético não deve consumir mais do que 4 peças de fruta diariamente, sendo que esta não deve ser ingerida de forma isolada mas sim sempre acompanhada com alimentos ricos em fibra pois a fibra torna a absorção de açúcar mais lenta, evitando grandes picos de glicémia. Por outro lado, os diabéticos devem moderar o consumo de proteína pois têm maior risco de desenvolver insuficiência renal, não sendo aconselhável o consumo excessivo deste macronutriente. 

Para quem pensa que um diabético está extritamente proíbido de consumir doces, desengane-se! Um diabético deve reduzir o consumo destes produtos, sendo sugerido um consumo ocasional (em festas, por exemplo) e não diário, bem como deverá sempre ser feito no final das refeições para não sofrer picos de glicémia. Também a água apresenta um papel muito importante para a diminuição dos níveis de glicémia no sangue, sendo que os diabéticos devem beber 1,5L a 2L de água diariamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

As Consultas de ReEducação Alimentar, ou simplesmente Educação Alimentar, são adequadas a todas as idades e géneros. Em primeiro lugar, estas consultas têm como principal função verificar como se encontra o estado nutricional do individuo, ou seja, se tem o peso ideal, se tem peso a menos ou se tem peso a mais. Posteriormente, tendo em conta todo o historial clinico do individuo, os antecedentes familiares, o nível de actividade física, a profissão e as rotinas, é elaborado um plano alimentar adequado. CADA PESSOA TEM NECESSIDADES E CARACTERÍSTICAS DIFERENTES, POR ISSO OS PLANOS ALIMENTARES SÓ RESULTAM NAS PESSOAS PARA AS QUAIS SÃO FEITOS.

 

Um plano alimentar não é uma dieta, não terá de tomar suplementos nem medicamento para o ajudarem a atingir o seu objetivo. Com os planos de ReEducação Alimentar você aprende a comer de forma equilibrada, adequada e variada, tornando dessa forma a sua alimentação mais saudável. Gradualmente verá como os resultados poderão ser supreendentemente positivos e como apenas uma mudança de hábitos alimentares pode fazer toda a diferença na sua vida. Não acredite nas tradicionais dietas extremas ou naqueles produtos milagrosos que fazem perder imensos quilos em pouquissímo tempo e a/o fazem estar sujeito a extremas restrições alimentares. Perder peso deve ser feito de forma gradual e acompanhada, para que não volte atrás!

 

Não perca mais tempo, opte pelas consultas de ReEducação Alimentar e verá como as vantagens são variadas! E não se esqueça: para atingir os seus objectivos, você mais do que ninguém tem de estar motivado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Marcação de Consultas e/ou Esclarecimento de Dúvidas

diana.educacaoalimentar@gmail.com